Man Down – Shia Labeouf como você nunca viu

Man_Down

 

Nos anos 80 Silvester Stallone conquistou sua fama ao expor um dos maiores problemas da sociedade americana: os veteranos de guerra. Apesar de os episódios II e III ganharem um ar de filmes de ação, o primeiro Rambo foi uma das grandes obras de drama daquela década. Passados 30 anos, o trauma da derrota no conflito do Vietnã parece ter morrido com seus ex-combatentes. Mas o problema evidenciado por Stallone está longe de ser superado.

Em tempos de super-heróis e batalhas com sabres de luz, fica difícil trazer à telona problemas sociais em um país que se importa muito pouco com os mais necessitados. Mas existe um filme de 2015 que deveria ser assistido por todas as pessoas que pregam que a guerra e os conflitos armados entre países são a solução: Man Down. Com direção de Dito Montiel e atuações de Gary Oldman, Kate Mara, Jai Courtney e o polêmico Shia LaBeouf, a obra choca, surpreende e emociona.

O enredo trata de um altamente treinado fuzileiro naval americano que deixa mulher e filho em casa e parte para a guerra do Afeganistão. Após vivenciar situações estressantes e típicas de um conflito armado, ele retorna para seu país devastado pelo ataque do inimigo e parte na busca de seu filho.

Man Down é um daqueles típicos filmes que te prendem mesmo sendo em sua maior parte moroso e arrastado, culminando em um plot twist surpreendente. Graças à competência do diretor em amarrar a pontas e construir a personalidade dos personagens de forma calma e bem explorada.

Shia LaBeouf. Um ator que em seu início dava indícios de ser mais um garoto atlético de enlatados americanos, mas nos últimos anos aparentemente se deparou com alguma experiência transformadora. Desde então ele abandonou a participação em blockbusters, passou a adotar filmes independentes, passou a ser mais participativo no ativismo político em seu país e colecionou polêmicas. Seu nome, inclusive, virou motivo de chacota em Hollywood. Afinal, como sabemos, é preciso se encaixar para fazer parte do clubinho. Mas ninguém pode negar a capacidade de atuação de Shia – que de fato melhora a cada obra.

Em Man Down o ator simplesmente dá um show! Posso afirmar que se trata de uma daquelas atuações injustiçadas pela Academia. Principalmente se considerarmos que Michael Fassbender, com o caricato Steve Jobs, e o fraquíssimo (nesse filme) Matt Damon, de Perdido em Marte, concorreram ao posto de melhor ator no Oscar 2016. Até mesmo Leonardo DiCaprio, vencedor por O Regresso, apesar de injustiçado em diversas oportunidades, não seria páreo para LaBeouf. Mas, conhecemos a Academia…

A bilheteria do filme não foi agradável. Na Inglaterra, lançado em 2017, chegou a vender 1 mísero ingresso!! A crítica americana, capitalista como só ela, foi implacável e arrasou com o filme. O que é digno de lamentação, pois comprova que as obras cinematográficas americanas não são analisadas pela sua técnica, mas por quanto conseguem arrecadar. Além de evidenciar como os americanos da era Trump querem se afastar da percepção das consequências de uma guerra, à beira de conflitos com Coreia do Norte, Síria e Venezuela.

O fato é que Man Down é um filme fantástico e que faz pensar. E Shia LaBeouf, apesar de seu comportamento controverso, é um ator que deve ser acompanhado de perto pela sua fantástica qualidade na imersão de personagens. Esperemos que um dia os mandachuvas do cinema americano evoluam e passem a tratar os filmes do século XXI como filmes do século XXI; fazendo com que suas obras e profissionais sejam premiados por sua qualidade e não por sua popularidade na comunidade endinheirada de Hollywood.

 

Compartilhe

Deixe seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.